«Passa», disseram os muros
muito respeitosamente
mostrando as ruas em frente.

Ele não queria passar:
queria nascer
e ficar.
Mas só viu ruas e muros
muito respeitosamente.

Por Ele, não seguiria.
Mas forçaram-no a seguir
em frente.

Nasceu numa gruta fria
nas aforas de Belém.
Anos depois, morreria
fora dos muros também
às três da tarde, sem luz,
perto de Jerusalém.

Chamava-se Ele Jesus.
Disse que éramos irmãos.
Todos lavaram as mãos
muito respeitosamente.

© Lopes Morgado
«Neste Natal» (1989), página 37

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 3.1.13 | Sem comentários
Categorias:
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários