A Assembleia Plenária do Conselho Pontifício da Cultura vai debater o tema das «culturas juvenis emergentes», entre os dias seis e nove de fevereiro. D. Carlos Azevedo, em entrevista à Rádio Vaticana, referiu-se à importância de ter em conta a cultura dos jovens na ação pastoral da Igreja:
«Uma atividade pastoral que não tenha em conta a cultura dos jovens de hoje corre o risco de falar para um mundo que não existe, de usar uma linguagem que ninguém entende, com uma gramática, um alfabeto que está desatualizado e fora de prazo. Por isso, é necessário conhecer as culturas emergentes, porque há muitos tipos de culturas juvenis».
Neste mesmo contexto, abordou a importância das redes sociais, renovando a atenção da Igreja por estes novos espaços de evangelização, como refere o Papa na Mensagem para o próximo Dia Mundial das Comunicações Sociais:
«É um fenómeno que a Igreja não pode esquecer. Todas as redes informáticas são uma forma de comunicação essencial, a Igreja tem que entrar neste ‘jogo’ de comunicação, tem que o conhecer para depois poder corresponder-lhe na vida pastoral».
Por fim, deixou também uma palavra de esperança nas novas gerações:
«Acho que os jovens de hoje têm qualidades fantásticas, são uma promessa para o futuro, mas é preciso saber quais são as janelas por onde entrar».

— fonte: www.news.va


Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 31.1.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários