— Terceira Semana [no Ciclo C de Cortés (RD-Herder)] —

Nós, cristãos, recebemos todos os dias uma boa semente


«Temos que estar orgulhosos de ser pequenos;

e tomar consciência de que a nossa pequenez é a nossa força»


Jesus tinha poucos meios à sua disposição para desenvolver o seu programa: não pôde contar com os seus, os de Nazaré, onde se tinha criado; onde, no evangelho segundo Lucas, deu início à sua missão (DOMINGO: «Jesus voltou à Galileia, com a força do Espírito [...]. Foi então a Nazaré, onde Se tinha criado); nem pôde contar com os representantes religiosos, que o acusavam de pactuar com o diabo (SEGUNDA: «Está possesso de Belzebu»); nem com os seus próprios familiares (TERÇA: «Quem é minha Mãe e meus irmãos?»).
Evidentemente, muito menos com os ricos ou os poderosos. Teve que criar uma família nova e pequena, como uma semente (QUARTA: «Saiu o semeador a semear»), para pôr em marcha o Reino de Deus. 
Nós, cristãos, recebemos em cada dia uma boa semente, o Evangelho, que representa a base do nosso programa de renovação; mas não sabemos fazê-la frutificar («Caiu em terreno pedregoso»); colocamos mal a luz (QUINTA: «Quem traz uma lâmpada para a pôr debaixo do alqueire ou debaixo da cama?»); desconfiamos da sua potencialidade ao vê-la tão pequena e tão pouca (SEXTA: «É a menor de todas as sementes»). E, contudo, o pequeno encerra uma enorme potencialidade como aquele menino que deu vida nova a anciãos como Simeão e como Ana (SÁBADO: «Simeão, homem justo e piedoso [...]. Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser»).

O Reino não se tornará real enquanto continuarmos a pôr a nossa confiança no grandioso, o multitudinário, o poderoso, o rico. Daí não sairá nada. É o pequeno que produz mudanças. Temos que estar orgulhosos de ser pequenos; e tomar consciência de que a nossa pequenez é a nossa força.

© tradução e adaptação de Laboratório da fé

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 27.1.13 | Sem comentários
Categorias: ,
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários