— palavra para quarta-feira, 26 de dezembro — Santo Estêvão —

— Evangelho segundo Mateus 10, 17-22

Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos: «Tende cuidado com os homens: hão de entregar-vos aos tribunais e açoitar-vos nas sinagogas. Por minha causa, sereis levados à presença de governadores e reis, para dar testemunho diante deles e das nações. Quando vos entregarem, não vos preocupeis em saber como falar nem com o que dizer, porque nessa altura vos será sugerido o que deveis dizer; porque não sereis vós a falar, mas é o Espírito do vosso Pai que falará em vós. O irmão entregará à morte o irmão e o pai entregará o filho. Os filhos hão-de erguer-se contra os pais e causar-lhes a morte. E sereis odiados por todos por causa do meu nome. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo».

— Sereis odiados por causa do meu nome

À celebração o primeiro Natal, a Igreja acrescenta a memória da primeira morte cristã. Segundo a tradição bíblica do livro dos Atos dos Apóstolos, Estêvão foi o primeiro mártir cristão. O nascimento de Jesus, humilde e simples, é já por si uma denúncia do poder instalado e da opressão sobre os outros. O martírio cristão é consequência da fidelidade à vida e à mensagem de Jesus Cristo. 
Pode parecer estranho, mas a «mensagem» do Natal conduz a situações de martírio, como o testemunha o caso de Estêvão. O anúncio alegre do Natal transforma-se, em Estêvão, no anúncio alegre do martírio!
Jesus vem trazer a paz. Ele é o «Príncipe da Paz». Mas a sua mensagem incomoda aqueles que preferem um Deus todo-poderoso, dominador (mesmo dentro da Igreja). E, mais do que isso, preferem exercer domínio e poder sobre os outros em nome desse mesmo Deus. 
Jesus alerta os seus discípulos: «Sereis odiados por causa do meu nome». Estêvão incomoda o poder religioso instalado, tal como tinha acontecido com Jesus Cristo. Infelizmente, quando continuamos a pensar que o sagrado é mais importante do que o humano, corre-se o risco de deixar acontecer situações como a de Estêvão. A história comprava-o. Até matamos em nome de Deus! Uma Igreja (ou uma vida cristã) instalada no poder e ávida de domínio sobre as pessoas é a maior traição ao Natal!

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 26.12.12 | Sem comentários
Categorias: , ,
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários