Hoje, Senhor, queremos cantar-te
com a nossa voz humana,
com as nossas palavras torpes e livres,
a nossa linguagem popular,
que Tu entendes muito bem,
porque a comunicação é possível.

Porque somos peregrinos no caminho da vida,
porque deixamos de ser ilhas,
porque percorremos caminhos e charcos,
praias, desertos, montanhas e planícies,
pela tua presença viva nesta aventura,
damos-te graças com força e ternura.

Pelo nosso ser aberto que partilhamos,
pelo nosso íntimo que tanto amamos,
pelo nosso eu cego que às vezes nos mete medo
e também pelo nosso eu desconhecido que desperta,
por tudo o que somos e partilhamos,
damos-te graças com força e ternura.

Por todos os pequenos e grandes caminhos
de comunicação, diálogo e encontro:
pela palavra e pelo gesto com a mão aberta,
pelo sorriso, pela piscadela, o beijo e as lágrimas,
pelo abraço apertado e todos os sentidos,
damos-te graças com força e ternura.

Pelos olhos que sabem dizer o que trazem dentro,
pelos pés que nos aproximam dos que estão sós,
pelo corpo que expressa os nossos sentimentos,
pelos corações que batem em uníssono,
pelos que com o seu amor nos comunicam vida,
damos-te graças com força e ternura.

Porque nos pusemos a caminho a toda a pressa,
e entramos na casa do pobre;
porque há ventres cheios de espírito vivo,
e tu estás connosco ao longo do caminho
como prenda e sinal de comunicação,
damos-te graças com força e ternura.

Florentino Ulibarri
— www.feadulta.com —


Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 25.12.12 | Sem comentários
Categorias:
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários