— palavra para segunda-feira da terceira semana de advento — 17 de dezembro —

— Evangelho segundo Mateus 1, 1-17

Genealogia de Jesus Cristo, Filho de David, Filho de Abraão: Abraão gerou Isaac; Isaac gerou Jacob; Jacob gerou Judá e seus irmãos. Judá gerou, de Tamar, Farés e Zara; Farés gerou Esrom; Esrom gerou Arão; Arão gerou Aminadab; Aminadab gerou Naasson; Naasson gerou Salmon; Salmon gerou, de Raab, Booz; Booz gerou, de Rute, Obed; Obed gerou Jessé; Jessé gerou o rei David. David, da mulher de Urias, gerou Salomão; Salomão gerou Roboão; Roboão gerou Abias; Abias gerou Asa; Asa gerou Josafat; Josafat gerou Jorão; Jorão gerou Ozias; Ozias gerou Joatão; Joatão gerou Acaz; Acaz gerou Ezequias; Ezequias gerou Manassés; Manassés gerou Amon; Amon gerou Josias; Josias gerou Jeconias e seus irmãos, ao tempo do desterro de Babilónia. Depois do desterro de Babilónia, Jeconias gerou Salatiel; Salatiel gerou Zorobabel; Zorobabel gerou Abiud; Abiud gerou Eliacim; Eliacim gerou Azor; Azor gerou Sadoc; Sadoc gerou Aquim; Aquim gerou Eliud; Eliud gerou Eleazar; Eleazar gerou Matã; Matã gerou Jacob; Jacob gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado Cristo. Assim, todas estas gerações são: de Abraão a David, catorze gerações; de David ao desterro de Babilónia, catorze gerações; do desterro de Babilónia até Cristo, catorze gerações. 

— Genealogia de Jesus Cristo

A partir do dia de hoje, 17 de dezembro, a liturgia assume uma dinâmica própria. É a oitava (oito dias) que antecede o Natal. Suspendem-se os dias feriais do Advento e cada dia apresenta referências bíblicas próprias, para destacar a importância da preparação próxima para o Natal. Este itinerário inicia-se com o texto do evangelho segundo Mateus em que se descreve a «Genealogia de Jesus Cristo». 
A lista dos antepassados de Jesus Cristo, de acordo com a perspectiva do evangelista, não é muito edificante. Ao contrário dos grandes «heróis» em que se procura esconder os aspetos menos positivos da sua vida e dos seus antepassados, neste caso parece exatamente o contrário. Esta genealogia assume muito claramente a identidade humana de Jesus Cristo ao destacar antepassados que demonstram a fragilidade do ser humano.
Outra característica própria desta genealogia é a referência a quatro mulheres: Tamar, Raab, Rute e a mulher de Urias (Betsabé). Estas quatro mulheres não pertencem ao povo judeu: Tamar é arameia, Raab é cananeia, Rute é moabita, e a Betsabé é hitita. Desta forma, o evangelista mostra-nos que a «família» de Jesus ultrapassa barreiras culturais e religiosas. 
Em Jesus Cristo, Deus humaniza-se, assume a nossa humanidade. Os evangelhos interessam-se mais pela humanidade concreta («histórica») de Jesus Cristo do que pela humanidade ontológica. Só levando a sério o humano seremos capazes de chegar ao divino!


Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 17.12.12 | Sem comentários
Categorias: ,
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários