— O Ano da Fé ensina-nos a tomar o «Credo» não como mais uma fórmula doutrinal repetida mecanicamente ou inconscientemente, mas como uma oração contemplativa, para que se torne, depois, numa narrativa da nossa própria história. Dizer «creio» não pode ser a repetição de um texto que me deram ou ensinaram. Dizer «creio», «acredito», é reconhecer-me dentro das palavras que pronuncio, para contemplar a presença de Deus, aqui e agora, que continua em mim, em nós, o ato criador e redentor. Então, a afirmação «creio» ou «acredito» torna-se o sinal da minha, da nossa, identidade cristã. Eu acredito no Deus que me criou e me recria em cada dia. Acredito no seu Filho, Jesus Cristo, que veio ao nosso mundo e vem à minha vida, para me apontar o caminho da felicidade, dando a vida por amor. Por isso, eu acredito que Deus o ressuscitou e tornou-o participante da plenitude da vida. Acredito que o Espírito Santo habita em mim, como um presente de Deus, para me ajudar a abrir o coração à porta da fé. E a caminhar na santidade. Acredito que o momento da morte é também o momento da ressurreição. Acredito que serei purificado para viver em Deus, para sempre.

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 2.11.12 | Sem comentários
Categorias: , ,
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários